23 de abril de 2017

Apaixonadas por Harley-Davidson em Londrina

Há um tempo atrás fomos até Londrina encontrar alguns amigos queridos. Já que moramos numa cidade interiorana onde não há variedade de restaurantes e nem há shoppings, aproveitamos a diversidade destes lugares que Londrina tem a nos oferecer. O clima é quente e nos dias que estávamos lá chegou a fazer 37, 38 graus, na sombra...
Só dentro do Shopping, mesmo, rsrsrsrs...😴

O amanhecer em Londrina
Ao fundo, Lago Igapó

Numa noite fomos no Pastel Mel - comer uma deliciosa panqueca. Chegando lá uma moça simpática veio nos atender e, quando ela viu meu marido com um boné da Harley-Davidson , ela não aguentou e perguntou se ele tinha moto e se era uma Harley...  Ela estava muito empolgada e dizendo que o sonho dela era ter uma Harley, também. Foi engraçada a situação porque devido ao entusiasmo dela, ela não sabia o que fazer e quando pedimos a conta e ela viu a carteira com o logo da Harley... se perdeu de vez, kkkkkk...😵

No outro dia fomos tomar um café e saborear Bolos do Frei, onde o ambiente é muito agradável e na hora de pagar quando a moça viu minha carteira, deu um suspiro e disse - HARLEY-DAVIDSON!!! Ela disse que um dia também queria ter uma moto. Então eu repliquei - você quer na verdade uma Harley e não uma moto... 😊

É muito interessante estas coisas pois, em determinados lugares as pessoas nem reconhecem o logo da marca ou, se reconhecem não gostam ou não fazem questão de comentar. Porém, estas duas  situações foram tão espontâneas e divertidas, que só demonstram que a paixão pela lendária marca norte-americana vai além de se ter uma motocicleta ou de se estar pilotando uma. 



Para finalizar a história, não poderíamos deixar de visitar a Red Wheel Harley-Davidson, onde pudemos ver o quanto os londrinenses bem como o pessoal das cidades vizinhas estão usufruindo desta loja. Muita gente com suas Harley para o café da manhã... E tantas outras em busca da sua nova moto dos sonhos.🏍

RIDE YOUR WORLD!!!


15 de abril de 2017

Grau de Dificuldade

Esses dias fomos na concessionária THE ONE em Curitiba, e lendo o quadro das viagens BATE E FICA , observei que havia grau de DIFICULDADE. 
Não é tão simples definir a dificuldade de um trajeto pois , para cada situação e para cada indivíduo isto é variável. 
Para um principiante pilotar 100 Km em um grupo de motociclistas, pode ter um alto grau de dificuldade. Têm pilotos que fazem um bate e volta de 400 Km e no final do trajeto estão muito bem dispostos; conheci outros que viajaram para o Alaska, Bolívia, Chile e Argentina... 800 - 1.000 Km num dia  não é nada. Pilotar em estrada de chão, então... é brincadeira para eles. 

A intenção da postagem não é criticar e nem polemizar; mas sim, que cada piloto veja qual é a sua zona de conforto e o quanto quer ou pode ir além das suas limitações.

Vejo quão é importante estar com a mente alerta e descansada para se fazer uma viagem, seja que distância for. O corpo livre de dores e desconforto é crucial para uma pilotagem prazerosa. Há de se considerar o tipo de estrada, por onde se vai transitar e as surpresas que se vai encontrar pelo caminho. 
Todos estes fatores são de grande importância para descobrirmos qual será a nossa dificuldade. A nossa experiência é única e particular e o grau de dificuldade sendo conhecido, pilotar tende a se tornar cada vez mais, algo muito satisfatório. 


RIDE YOUR WORLD!!!

Pode ser que uma passagem pelo trajeto não seja suficiente para definir o grau de dificuldade, pode ser que com o aumento da sua experiência os seus conceitos também se modifiquem. Mas lembre-se sempre que o que realmente importa é você e a sua motocicleta, e a estrada...

6 de abril de 2017

Zen na Motocicleta



A motocicleta não é apenas um veículo de 2 rodas que serve para nos levar de um ponto A para um ponto B. Ela é um instrumento de auto-superação e de desapego. 

1 de abril de 2017

Jóia Sobre Rodas

Vocês já devem ter assistido este programa na TV por assinatura, no canal da  Discovery Turbo. Dentre os programas sobre recuperação de carros este é o único que ensina você a fazer alguma coisa por si mesmo. Os demais programas são superficiais e parecem mais um reality show...

No seriado de Jóia Sobre Rodas ( Whellers Dealers) o Mike Brewer - um ex-vendedor de carros - comprava os carros antigos e o Edd China - mecânico e inventor - os recuperava. Edd passava muitas dicas e esclarecia as coisas, tanto que me sentia incentivada a fazer pequenos trabalhos por mim mesma, seja no carro ou na moto.

Porém, na semana passada o Edd anunciou que não mais fazia parte do programa, porque ele foi comprado pela Velocity Studios, e eles acharam que não valia a pena continuar com a equipe de 45 pessoas que produziam esta jóia de programa - instrutivo.
É uma pena para quem gosta de algo com qualidade pois, o que nos restou foi: Oficina do Barulho, Restauração de Garagem, Oficina dos Sonhos, As Mecânicas, Negócio em Marcha... Uma Dupla do Barulho. Nestes você só vê os carros desmontados e montados, não aprende nada prático...

Fonte DNI
Para os britânicos continua fácil ter acesso às explicações de Edd China mas, aqui no Brasil, só se algum grupo queira fazer um novo programa apenas com ele. Enquanto isso podemos acompanhar a última temporada de Jóias Sobre Rodas que virá ao ar em Abril no Discovery Turbo...


Fonte: Edd China facebook



Vìdeos Zen na Motocicleta

Previsão do tempo