História da Harley-Davidson


Antes de conhecer a verdadeira história sobre a criação da Companhia Harley-Davidson, ouvi pessoas contarem o que se segue:
Era uma vez dois mecânicos, um se chamava Harley e o outro Davidson. Então eles começaram a produzir motocicletas num pequeno galpão, cujo nome resultou.... Harley-Davidson.

Então fui pesquisar a respeito, e a história deles começou assim:
William S. Harley (20 anos) trabalhava numa fábrica de bicicletas e estava desenvolvendo um motor para acoplar às bicicletas.
Arthur Davidson amigo de infância de William, trabalhava como modelista na mesma fábrica de bicicletas.
Quando ambos tinham um tempo livre, usavam um sótão para fazer experimentos. Isso aconteceu durante 2 anos , até que foi criada a primeira motocicleta Harley-Davidson, em 1903.
Logo o projeto recebe dois novos integrantes - Walter e William Davidson ( irmãos mais velhos de Arthur) - que tinham conhecimento em mecânica.
Então eu me perguntei... Por que se, eram três Davidson e um Harley, o nome da marca não era para ser Davidson-Harley??
A resposta é que: Como William Harley (Bill Harley) tinha sido criador da idéia original, todos concordaram  que seu nome fosse o primeiro.
Ah!!! E diferentemente do que eu pensava, eles eram de origem escocesa e, não americana.

Em 1903 foram produzidas 3 motocicletas, que estavam vendidas previamente. Sabe-se que a primeira máquina passou por mais de 5 proprietários e percorreu mais de 160.000Km, sem nenhuma avaria importante e sem trocar nenhuma peça.


Harley-Davidson 1903

No ano seguinte ampliaram o barracão e fabricaram 8 motocicletas. Em seguida contrataram operários e abriram uma oficina em Milwaukee e, em 1905 produziram 50 motocicletas. Neste período, todos os sócios fundadores haviam abandonado seus empregos para dedicarem-se exclusivamente à nova empresa. As HD se tornaram famosas por sua resistência. E em 1911 criou-se o primeiro motor F-head, que será o motor chefe até 1929, quando aparece o Flathead.

Motor F- Head

Motor Mono cilíndrico

Fotos do arquivo Harley-Davidson Company



Em 1912 foi introduzida a embreagem para motocicleta, que foi um êxito comercial. Bill Harley, formou-se  em Eng. Industrial pela Universidade de Wiscosin, resolveu inserir mais um cilindro, a fim de melhorar a potência. Colocou-os numa posição de 45. Criando um par muito poderoso e um som inconfundível. Assim nasceu o que seria o verdadeiro símbolo da marca: o motor V-Twin.



Os primeiros modelos foram os motores Flathead, de 700cc, seguidos pelos V-Twin , entre os quais temos o Evolution, também conhecido como Evo ou Blockhead.
A empresa vendeu motocicletas para a polícia de Detroit, exportou para o Japão; ao chegar a primeira guerra mundial, vendeu mais da metade de sua produção para o exército.



Ao final da guerra , a Companhia Harley-Davidson dominava amplamente o mercado, graças a sua capacidade de produção e às ótimas relações de Bill Harley com o Ministério da Defesa.
Em 1918 publicou-se o primeiro número da revista Enthusiast, com o intuito de informar aos condutores do mundo inteiro.
Foi incorporado freios nas rodas dianteiras e se construiu o primeiro motor twin cam, permitindo que as motocicletas alcançassem 137Km/h. Além do mais, desenvolveram o tanque de combustível em formato de lágrima, que se converteria num dos grandes símbolos da Harley-Davidson.
Durante a recessão a Companhia HD conseguiu se manter devido: ao fornecimento de motocicletas para a polícia e para o exército, e à sua poderosa rede de distribuição unida à uma redução de custos. Também foi nessa época que começaram produzir o Servi Car ( triciclo que se utilizava para entrega de mercadorias).



Quando se instalou a segunda guerra mundial, foram fabricadas mais de 90.000 máquinas. Em 1947 apresentou-se uma inovação com a chegada das Panhead e, pouco depois , as novas Hydra Glide com freios hidráulicos dianteiros.
Em 1943 morre Bill Harley.
Nos anos cinquenta, a indústria britânica dominava 40% do mercado com suas impecáveis motocicletas Triumph, porém as máquinas japonesas começaram a invadir o mercado com um estilo diferente e preços altamente competitivos. Por outro lado começaram a  relacionar ter uma bike a um estilo de vida que se confundiu com marginalidade , delinqüência e consumo de drogas. Todos os jovens queriam ser como Marlon Brando, porém estes tipos truculentos, tatuados e barbudos criaram um rechaço social muito grande.
Mais tarde surgiu o filme Easy Rider que contribuiu para a segregação dos motoqueiros da sociedade pensante.
As vendas de Harleys despencaram e a empresa de máquinas AMF comprou a Harley-Davidson Company. A redução de custos levaram a numerosas greves e a qualidade baixou; o desenho, empobrecido, deixou de lado as inovações durante anos. As motos eram caras e de uma qualidade inferior às importadas do Japão e da Grã Bretanha.
Em 1981, alguns diretores da empresa, incluindo Willie G Davidson, com o apoio do City Bank, conseguiram fundos para comprá-la novamente.
A política empresarial sofreu um giro de 180 graus. Reforçou-se a imagem retrô da marca, em lugar de se produzir modelos parecidos aos das motos japonesas.
Uma vez mais, o governo proibiu a importação de motocicletas japonesas por 5 anos.
Nesse período, patrocinado pela companhia, foi criado o HOG ( Harley Owners Group), o maior clube motociclista de todo mundo; que contribuiu enormemente a difundir o espírito da marca.


Foto da revista HOG



A qualidade das motocicletas melhorou e a Harley-Davidson ampliou seu raio de ação a fim de atrair executivos das classes média e alta, e em geral, clientes com maior poder aquisitivo que o público anterior. O modelo Softail foi lançado no mercado e os bikers estavam ganhando glamour. Willie G. Davidson comandou o departamento de desenho da empresa e,  paralelamente, criou Screamin´Eagle, a seção da Harley-Davidson que oferece customização em série para os compradores.

Em 2003 foi celebrado o primeiro centenário da Harley-Davidson, com encontros por todo planeta e um tour mundial que finalizou em Milwalkee com mais de 250.000 pessoas.
Um século depois de sua criação, a empresa está plenamente consolidada e é lider nos Estados Unidos. Suas motos continuam sendo, hoje mais do que nunca, a quinta essência da motocicleta. Unida estreitamente ao país que a viu surgir, a história da Harley-Davidson é uma sucessão de êxitos e dificuldades, atitude empreendedora e inovação, com um espírito que hoje em dia segue sabendo ser fiel à sua essência  e também reinventar-se a si mesmo.

                            Do livro: Harley-Davidson
                                          La Leyenda Continúa



Tradução: Vera Felippetto

2 comentários:

Vìdeos Zen na Motocicleta

Previsão do tempo